Em entrevista à rádio CBN na última terça-feira (30), o governador de São Paulo, João Doria (PSDB), entre outros assuntos, tratou de fazer um balanço dos primeiros meses de gestão. Além disso, manifestou-se sobre várias polêmicas atuais da política nacional, como a recente manifestação do presidente da República sobre a morte do pai de Felipe Santa Cruz, presidente da OAB. Entretanto, surpreendeu ao afirmar que nunca teve alinhamento com o Governo Bolsonaro.

Doria também comentou sobre seu relacionamento com o ex-governador de São Paulo Geraldo Alckmin, pois em junho deste mesmo ano, durante uma entrevista, Doria afirmou que Alckmin deveria deixar o partido enquanto estava sob investigação.

Na CBN, Doria declarou que seu discurso foi mal interpretado e não apoia a saída de Geraldo Alckmin do PSDB, reforçando que continua tendo uma ótima relação com Alckmin.

Ao tratar da recente polêmica sobre a declaração de Jair Bolsonaro sobre a morte do pai do atual presidente da Ordem dos Advogados do Brasil, Doria disse que não seria seu papel julgar a vida do presidente da República, mas afirmou que não é "contributivo" negar a ditadura militar. Na oportunidade, Doria relembrou o acontecimento ocorrido com seu pai, João Agripino Doria, à época integrante do Partido Democrata Cristão (PDC), que teve cassado seu mandato de deputado federal no período do regime militar.

O fim da relação 'BolsoDoria'

Questionado sobre o que teria mudado desde as Eleições 2018, Doria disse que nunca teve alinhamento com o governo Bolsonaro, mas que o apoia no que for bom para o país. Nas palavras de João Doria: "nós nunca tivemos alinhamento com o governo Bolsonaro e nunca foi preciso.

As medidas que forem boas para o Brasil nós apoiamos e apoiaremos. Nossa posição não mudou".

Entretanto, apesar de dizer não ter alinhamento com o governo Bolsonaro, Doria trabalhou enfaticamente nas eleições passadas no apoio ao então candidato Jair Bolsonaro. No segundo turno, não ficou "em cima do muro" e mostrou que "tinha lado e posição", lançando a famosa hashtag: BolsoDoria, como na declaração a seguir que proferiu durante a corrida eleitoral: "tenho lado.

Tenho posição. PT não! A partir de agora, apoiarei Jair Bolsonaro e venceremos o segundo turno. Vamos lutar para a esquerda não voltar! #AceleraSP #BolsoDoria”

A declaração gerou certa confusão nos bastidores do PSL e do PSDB, além de desconfiança por parte da deputada federal Carla Zambelli sobre a verdadeira intenção de João Doria nas eleições passadas ao apoiar a candidatura de Bolsonaro. Em suas redes sociais a deputada declarou: "Doria tem seu valor, mas, quando queremos apequenar grandes realizações de alguém que conquistou o Brasil, como Bolsonaro e, pior, problematizar simples declarações, o valor se perde e nos remete a repensar suas reais intenções nas eleições de 2018”.

Siga a página Jair Bolsonaro
Seguir
Siga a página Política
Seguir
Siga a página Eleições
Seguir
Não perca a nossa página no Facebook!