O primeiro-ministro do Reino Unido, Boris Johnson, de 55 anos, está infectado com o covid-19, de acordo com uma nota do governo divulgada nesta sexta-feira (27). O político conservador teve sintomas leves e vai se isolar por tempo indeterminado, segundo assessoria. Matt Hancock, ministro da Saúde, também está com Covid-19.

De acordo com informações cedidas pelo próprio governo britânico, Boris Johnson irá continuar a liderar esforços necessários para coibir o avanço da epidemia no país.

Segundo um porta-voz do governo britânico, os sintomas do primeiro-ministro apareceram na quinta-feira (26), um dia após Johnson ter ido ao Parlamento do país para uma sessão de perguntas e respostas com jornalistas.

Covid-19 e mundo

Com o surto do vírus, muitos países se encontram em momento de quarentena, com intuito de fazer com que o vírus não se propague ainda mais. Com muitas empresas fechadas e muitas pessoas sem ir aos trabalhos, a economia do país acaba sofrendo, pois deixaram de produzir. Com isso, muitos empregadores estão tomando atitudes diferenciadas para suprir essas necessidades.

Mesmo em casa, algumas pessoas ainda estão trabalhando em ''home office''. Essa foi uma das formas mais qualificadas que os empregadores acharam para que seus funcionários não deixem de produzir, já que fica impossibilitado a saída dos funcionários de suas residências em meio a proliferação do covid-19.

Consequências pós covid-19

Quando a pandemia for controlada em todo o mundo, possivelmente, muito empregadores terão que rever o quadro de funcionários. Pelo fato das empresas não estarem produzindo, consequentemente também não estão lucrando. Por isso, nesse momento de pandemia, muitos empresários estão tendo prejuízos em deixar suas empresas de portas fechadas.

Tendo o Brasil como exemplo, o estabelecimento ou loja que abrir, poderão ser punidos com severas multas. Muitos fiscais estão espalhados em todo o país para fiscalizar as lojas e os comércios. Essa medida de manter os estabelecimentos fechados, foi ordem do atual governo. O intuito é diminuir o número de pessoas que circulam pela cidade.

Até o presente momento, não foram possíveis obter dados de quantas empresas foram penalizadas por descumprirem essas ordens.

Quarentena

Em meio a quarentena, o atual presidente da República, Jair Messias Bolsonaro, foi duramente criticado nas redes sociais após informar que as atividades deveriam ser retomadas no país. Segundo ele, muitas empresas e escolas estão paradas e com isso poderá gerar um reflexo muito negativo para a economia do país.

Mesmo o Ministério da Saúde advertindo a posição do atual presidente, algumas lojas e estabelecimentos chegaram a abrir, mas foram rapidamente fechadas. Por isso, a medida inicial continua mantida, onde a normalização do país começará nas primeiras semanas do mês de abril caso o avanço da pandemia não se prolifere.

Siga a página Coronavirus
Seguir
Não perca a nossa página no Facebook!