No último sábado (18), o atual chefe do Executivo, Jair bolsonaro (sem partido), aproveitou o dia para conversar com algumas pessoas que se aglomeravam na saída do Palácio do Planalto. No local, o presidente respondeu algumas perguntas e comentou sobre a situação do país em razão do novo coronavírus. Todo o ocorrido foi registrado pelas redes sociais do parlamentar através de uma transmissão ao vivo.

Bolsonaro afirmou que o vírus está fazendo com que muitos problemas surjam no país, dentre eles, o aumento no desemprego em razão da paralisação das atividades profissionais.

O presidente voltou a ressaltar a importância da retomada do trabalho no país e também a reabertura de alguns comércios. O atual chefe do Executivo informou em diversas entrevistas que o Brasil não pode parar em meio a pandemia.

O político defende que as pessoas que não estiverem no grupo de risco, que seriam aquelas com idade igual ou superior a 60 anos ou aquelas que possuem alguma doença venérea, retomem as atividades trabalhistas, tendo em vista que a economia poderá ser prejudicada. “O Supremo falou que eu não tenho autoridade para isso, mas, no que depender de mim, vamos começar a flexibilizar e mostrar que não é esse o caminho”, argumentou Bolsonaro.

Ele ainda disse que o vírus iria vitimar muitas pessoas no mundo, onde ele chegou a dizer que '70% da população iria ser contaminada' pelo novo coronavírus.

No final da entrevista, o parlamentar agradeceu o apoio de alguns brasileiros que ali estavam para declarar apoio ao atual presidente Bolsonaro. “70% vai ser contaminado. Se não for hoje, vai ser semana que vem, mês que vem, é uma realidade”, disse Bolsonaro.

Auxílio emergencial

A pandemia fez com que muitos problemas surgissem no Brasil, entre eles, a falta de renda de pessoas que trabalham de forma autônoma.

Após o país parar com parte das atividades profissionais, fechar lojas e comércios, muitas pessoas que trabalham de maneira informal estão sendo afetadas diretamente, tendo como exemplo os vendedores ambulantes, onde muitos estão em casa de quarentena para não correr o risco do contágio do vírus. Com isso, muitos não conseguem pagar as contas mensais ou até mesmo comprar comida, tendo em vista que os trabalhadores não estão conseguindo 'fazer' dinheiro nesse período de pandemia.

Para ajudar essas pessoas, o atual chefe do Executivo, Bolsonaro, sancionou uma lei com um auxílio no valor de R$ 600, podendo chegar em até R$ 1.200 para as mulheres chefes de família. O auxílio já começou a ser distribuído. O valor será destinado aos trabalhadores informais até que a proliferação do novo coronavírus seja controlado no país.

Até o fechamento dessa matéria, de acordo com o Ministério da Saúde, foram registradas 2.347 mortes e 36.599 casos confirmados.

Siga a página Coronavirus
Seguir
Siga a página Jair Bolsonaro
Seguir
Siga a página Política
Seguir
Não perca a nossa página no Facebook!