Carlos Bolsonaro, atual vereador do estado do Rio de Janeiro, foi identificado pela Polícia Federal por ser um dos articuladores do esquema de fake news. De acordo com informações do jornal Folha de S. Paulo, o vereador, que é filho do atual presidente da república, Jair Messias Bolsonaro (sem partido), teria usado suas redes sociais para atacar pessoas da oposição (esquerda).

O vereador é suspeito de ter usado fake news para atacar políticos, instituições e, inclusive, membros do Supremo Tribunal Federal (STF). A investigação da Polícia Federal faz parte de alguns inquéritos sigilosos realizados pelo Supremo Tribunal Federal para identificar parlamentares ligados ao presidente, a respeito de notícias falsas divulgadas nas redes sociais.

Jair Bolsonaro chegou a informar que seu filho, Carlos, teria sido uma das 'peças' fundamentais para que ele chegasse à presidência da república, tendo em vista que o vereador conduzia as redes sociais do pai e também ajudava no material de campanha que era realizado pelas redes sociais.

Fake news de Eduardo Bolsonaro

Eduardo Bolsonaro, deputado federal (PSL-SP), que também é filho do atual presidente da república, se envolveu em alguns problemas relacionados a supostas fake news. Através do Twitter, Eduardo teria informado que o atual companheiro da também deputada federal Joice Hasselman teria se envolvido com corrupção.

Pelo Twitter, Eduardo Bolsonaro compartilhou uma matéria que dizia que o companheiro da deputada teria admitido contrato ilegal com o consentimento do atual governador do Rio de Janeiro, Wilson Witzel.

A deputada federal usou suas redes sociais informando que irá entrar com um processo na justiça para provar que tudo que foi dito por Eduardo não condiz, e ainda afirmou que irá processá-lo por injúria e difamação.

"Espalhar uma fake news sobre corrupção sem qualquer fundo, sem qualquer prova, é a mesma coisa que eu falar que o Eduardo, por exemplo, é pedófilo, sabendo que ele não é. As pessoas não podem falar qualquer coisa, porque isso é crime'', comentou Joice Hasselman através das suas redes sociais. Ela quer uma indenização no valor de R$ 5.754.000 pelas mentiras ditas publicamente.

Eduardo Bolsonaro não voltou a se pronunciar a respeito do caso.

Polícia Federal

Na manhã desta última sexta-feira, Bolsonaro decretou a exoneração do, até então, diretor-geral da Polícia Federal identificado como Maurício Valeixo. A exoneração também foi publicada pelo 'Diário Oficial da União'. A saída do parlamentar foi por consentimento do presidente. Informações apontam que esse foi um dos motivos para que Sergio Moro deixasse o Governo de Bolsonaro.

Siga a página Jair Bolsonaro
Seguir
Siga a página Polícia
Seguir
Siga a página Governo
Seguir
Não perca a nossa página no Facebook!