De acordo com pesquisa divulgada nesta quarta-feira (8) pelo Instituto Datafolha, 17% dos eleitores de Jair Bolsonaro se arrependeram do voto nas Eleições de 2018. A margem de erro da pesquisa é de três pontos percentuais para mais ou para menos.

As entrevistas foram aplicadas entre os dias 1º e 3 de abril (quarta e quinta-feira da semana passada), por telefone, com 1.511 pessoas de todas as regiões do país.

Ainda segundo a pesquisa, a taxa de entrevistados que acreditam que a gestão do Governo Bolsonaro durante a pandemia de Coronavirus é ruim ou péssima subiu para 39%.

Na última pesquisa, 33% avaliavam a gestão durante a crise como boa ou ótima. Os dados completos foram divulgados através do site da Folha de S.Paulo.

Datafolha: avaliação das ações de Bolsonaro durante a pandemia

Público geral:

  • Ótimo/bom: 33%;
  • Regular: 25%;
  • Ruim/péssimo: 39%;
  • Não sabe/não opinaram: 2%.

Eleitores arrependidos:

  • Ótimo/bom: 10%.
  • Regular: 24%;
  • Ruim/péssimo: 63%;
  • Não sabe/não opinaram: 2%.

Datafolha: avaliação do governador do estado durante a pandemia

Público geral:

  • Ótimo/bom: 58%;
  • Regular: 23%;
  • Ruim/péssimo: 16%;
  • Não sabe/não opinaram: 2%.

Eleitores arrependidos:

  • Ótimo/bom: 72%.
  • Regular: 15%;
  • Ruim/péssimo: 11%;
  • Não sabe/não opinaram: 1%.

Datafolha: entrevistados opinam sobre o medo em relação à pandemia

Público geral:

  • Muito medo: 38%;
  • Pouco medo: 39%;
  • Não tem medo: 23%.

Eleitores arrependidos:

  • Muito medo: 45%;
  • Pouco medo: 34%;
  • Não tem medo: 22%.

Entrevistados opinam quanto ao número de mortes por Covid-19 no Brasil

Público geral:

  • Muitas mortes: 52%;
  • Poucas mortes: 41%;
  • Não sabe: 6%.

Eleitores arrependidos:

  • Muitas mortes: 66%;
  • Poucas mortes: 31%;
  • Não sabe: 3%.

Ainda de acordo os dados, as mulheres fazem parte de 60% dos eleitores arrependidos.

Cabe destacar, também, que entre o grupo dos arrependidos, 45% dos entrevistados têm um receio maior quanto aos riscos que a pandemia pode causar.

Desde que o vírus chegou ao Brasil, as atuações de Jair Bolsonaro vem sendo questionadas por divergir das principais recomendações da Organização Mundial da Saúde (OMS), como o isolamento social.

Em um pronunciamento na TV, por exemplo, o presidente chegou a afirmar que a imprensa estava exagerando sobre o surto e que a população deveria deixar a quarentena para voltar ao trabalhar, salvo pessoas que se enquadram no grupo de risco.

Segundo o Instituto Datafolha, 76% da população concorda que o atual modelo de quarentena é o caminho ideal para enfrentar a disseminação do vírus.

Hoje o Brasil concentra 14.511 casos da doença e 715 mortes. De acordo com dados do rastreador da Covid-19. São Paulo é o estado mais afetado, com 5.682 casos confirmados e 371 mortes.