Segundo informações do colunista Marcelo Godoy, do jornal O Estado de S. Paulo, o Governo do presidente Jair Bolsonaro (sem partido) vem sofrendo críticas por parte dos militares.

O colunista entrevistou o coronel Marcelo Pimentel Jorge de Souza, que disse que Bolsonaro não é o ex-presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, mas pode ser derrotado nas próximas eleições.

Pimentel produziu um texto intitulado de “O logístico que não segue o Manual”, onde faz algumas críticas quanto a atuação do ministro da Saúde, Eduardo Pazuello.

O coronel Pimentel disse que o governo contratou Pazuello por possuir habilidade logística.

Ele criticou também os conflitos entre Pazuello e os governadores e a falta de esclarecimentos sobre a real situação de controle da pandemia. Outro ponto criticado por Pimentel é o atraso sobre a divulgação de levantamento da quantidade de seringas que devem ser usadas na aplicação de vacinas.

O coronel também comentou sobre investimentos em tratamentos para o coronavírus que não tem aval da ciência, como o uso da hidroxicloroquina e vermífugos. Para Pimentel, Pazuello não está seguindo o manual de logística e, por conta disso, deve pedir para deixar o cargo.

O coronel Péricles da Cunha foi outro militar que fez algumas críticas à atuação de Pazuello no ministério da Saúde. Ele disse que há falta de experiência de Pazuello comparar-se com a do Exército.

Além destes militares citados acima pelo colunista, o tenente-brigadeiro Sérgio Xavier Ferolla também já demonstrou que não está totalmente satisfeito com o governo e o ministro da Saúde.

Pazuello diz que vai tomar vacina

Após o presidente Jair Bolsonaro dizer que não vai se vacinar contra o coronavírus, o ministro Pazuello disse que pretende receber o imunizante assim que chegar a sua vez.

O ministro reiterou também que o imunizante precisa ser registrado pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) para que seja aplicado.

Em sua última declaração sobre a vacinação, Bolsonaro disse que não sente a necessidade de tomar o imunizante, pois já contraiu o vírus, já possui anticorpos contra a doença e não pegaria outra vez. No entanto, a ciência diz que com o passar do tempo a autoimunidade contra o coronavírus vai diminuindo e a pessoa pode voltar a contrair o vírus outras vezes.

Inclusive foram confirmados dois casos de reinfecção pelo vírus no Brasil.

Siga a página Jair Bolsonaro
Seguir
Siga a página Política
Seguir
Siga a página Saúde
Seguir
Não perca a nossa página no Facebook!