Ultimamente as coisas não têm andado muito bem entre o presidente Jair Bolsonaro e seu vice-presidente, Hamilton Mourão, visto que eles estão se tratando com certa rispidez por conta de alguns acontecimentos envolvendo reforma ministerial e impeachment.

Mourão já defendeu o presidente dos pedidos de impeachment por diversas vezes em público, mas ultimamente o clima tem mudado entre os dois e vem ficando tenso a cada nova declarações. As informações são da agência de notícias italiana, ANSA.

Bolsonaro proibiu abertamente que seu vice comentasse publicamente sobre os planos do Governo para uma possível mudança ministerial.

Segundo as informações, as trocas de ministros não foram feitas ainda porque o governo está oferecendo alguns ministérios em troca de apoio para eleger o candidato apoiado pelo presidente, o deputado Arthur Lira (PP).

Mourão diz que haverá mudanças no governo

Tudo começou depois que Mourão disse durante uma entrevista na “Rádio Bandeirantes”, ao ser questionado sobre uma possível reforma ministerial, que não tinha certeza, pois não havia conversado com o presidente sobre esse assunto, mas acredita que terá mudanças.

Mourão disse o governo está esperando as eleições na Câmara e no Senado passarem para começar as mudanças. Sem citar nomes, o vice disse que alguns ministros têm deixado a desejar e comentou sobre a falta de sucesso ao tentar trazer a vacina fabricada na Índia e a importação de insumos para produção da vacina que vem da China.

Mourão se referia ao ministro das Relações Exteriores, Ernesto Araújo que já criticou a China ao alimentar comentários já feitos pelo próprio presidente da República.

Bolsonaro sugere que Mourão deva se candidatar nas eleições em 2022

Bolsonaro então rebateu as declarações de Mourão dizendo que seu vice estava alimentando a discórdia no governo e consequentemente apoiando a imprensa que segundo ele, sempre tem divulgado matérias neste sentido.

Bolsonaro disse que quem decide se haverá troca de ministro ou não é o presidente, e se alguém quiser decidir sobre esta questão deve se candidatar para fazer tal escolha.

Ex-assessor de Mourão

Outro episódio que causou incômodo foi que um dos ex-assessores de Mourão, Ricardo Roesch comentou entre os parlamentares que Bolsonaro iria sofrer um impeachment porque o vice havia dividido a ala militar fazendo com que diminuísse o apoio ao presidente.

Na mensagem enviada pelo assessor de Mourão dizia também que o afastamento de Bolsonaro pode ser causado por conta dos vários erros do presidente na condução da pandemia.

Em outro trecho, Roesch diz que Mourão é o mais preparado politicamente do que Bolsonaro. O teor das mensagens foram divulgadas pelo site O Antagonista. Assim que as mensagens vieram a publico, Roesch disse que foi rackers quem enviaram as conversas, mas foi desmentido por Mourão que o demitiu do cargo e lamentou pelo ocorrido.

Segundo Mourão, o maior motivo para demitir seu assessor foi a menção ao impeachment de Bolsonaro que segundo ele, não concorda de modo algum, e se alguém próximo a ele defender o impeachment de Bolsonaro já perdeu sua confiança.

Siga a página Jair Bolsonaro
Seguir
Siga a página Política
Seguir
Não perca a nossa página no Facebook!