O presidente Jair Bolsonaro (sem partido), foi acusado pelo deputado Baleia Rossi de estar forçando a barra de alguns parlamentares em busca de votos e oferecendo até cargos para que mudem de ideia sem se preocupar em demonstrar tal ação. Rossi fez a declaração em entrevista para o jornal O Globo.

O candidato apoiado por Bolsonaro é Arthur Lira (PP-AL), e o presidente está trabalhando para elegê-lo. Já Rossi vem sendo apoiado por seu desafeto, o presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM).

Rossi disse que seu oponente vem fazendo o uso da traição, porém ele está fazendo uso da confiança e acreditando na palavra dos colegas da Casa.

Em outro trecho, o deputado diz que as eleições no Congresso estão sofrendo interferências do Governo, que vem fazendo o uso de chantagens para obter votos. Dentre as subordinações estão os oferecimentos de cargos e emendas.

"Está coagindo e perseguindo deputados de forma ostensiva, não só com cargos, mas com emendas extraorçamentárias, o que não é bom para o Parlamento”, disse.

O emedebista disse que esse tipo de atitude só acaba prejudicando a Casa e ressaltou que os deputados não deveriam aceitar subornos só para atrapalhar uma agenda política, prejudicar um partido para evitar que um candidato à mesa do Congresso não ganhe o pleito.

Rossi disse também que os parlamentares não vão se vender porque tem consciência que se eles se venderem irão ficar nas mãos do governo, mas se seguirem de forma independente vão tem um Congresso mais livre e cheio de autonomia para tomar suas decisões.

Rossi defende a independência da Casa

Para o candidato, a Câmara não pode ficar sendo controlada ou submissa, pois isso reduz seu real valor e com isso a Casa perde sua importância de participação nas decisões.

O emedebista relembrou o episódio em que o deputado Áureo Ribeiro (Solidariedade) perdeu cargos depois que decidiu apoiá-lo. O partido de Ribeiro estava inclinado a apoiar Lira, mas acabou mudando de opinião e passou para o bloco do emedebista.

Rossi falou também que muitos cargos estão sendo oferecidos como também estão sendo tirados porque estão aderindo ao bloco do emedebista. Sobre o cargo tirado de Ribeiro, o candidato disse que foi sem motivo algum, apenas por apoio a ele, o que para Rossi não justifica.

'Unidos pela democracia'

O Deputado afirmou que o seu bloco é formado por lideranças e partidos de esquerda, centro e direita que todos possuem o mesmo objetivo que é proteger e dar seguimento a democracia no Brasil e garantir a autonomia da Câmara.

Para o emedebista, a Câmara está carente de diálogos saudáveis entre os poderes, voltados para o progresso do Brasil. Ele ressaltou que falta projeto para erradicar a pandemia e assim impulsionar a economia e como consequência a geração de empregos e renda para os brasileiros.

A disputa entre os dois candidatos que atualmente são os que tem mais votos já declarados, está acirrada. Segundo informações do site Metrópoles, Rossi somando todos os votos chega a 242 e Arthur Lira tem cerca de 249 intenções de votos até o momento.

Siga a página Jair Bolsonaro
Seguir
Siga a página Política
Seguir
Não perca a nossa página no Facebook!