O ex-presidente Lula (PT) recomendou que Fernando Haddad deve começar imediatamente a viajar pelo país, pois "quem quer ser candidato" deve largar a docência na universidade e ir conversar com as pessoas. "Ele me pediu para colocar o bloco na rua e eu aceitei", disse Haddad. A atitude do ex-presidente da República é reflexo do temor que sente com a possibilidade do Supremo Tribunal Federal (STF) não restituir seus direitos políticos, devido a duas condenações que pesam sobre ele - o caso Tríplex do Guarujá e o sítio em Atibaia.

Nesta sexta-feira (5), Lula conversou com o comitê nacional, Lula Livre, e falou sobre suspensão do ex-juiz Sergio Moro, principal autor nas condenações de Lula.

Moro foi suspendido depois que o vazamento de troca de mensagens com Deltan Dallagnol o atingiram.

Moro agiu com parcialidade nos casos relacionados a Lula

No início da semana passada, Ricardo Lewandowski, ministro do STF, derrubou o sigilo da ação garantindo, assim que o material apreendido pela Operação Spoofing seja acessado pela defesa de Lula. A Operação Spoofing tem investigado a invasão a celulares, incluindo o de Sergio Moro e demais autoridades envolvidas na Operação Lava Jato.

O material reúne trocas de mensagens entre as autoridades e reforça o que a defesa de Lula tem levantado como argumento de defesa. De acordo com o teor das mensagens, Sergio Moro atuou de forma parcial nos casos relacionados ao petista.

Lula sugere mobilização da sociedade para reaver seus direitos políticos

Para o ex-presidente, a única medida que pode evitar a manutenção da cassação é a mobilização de toda a sociedade. De acordo com informações obtidas pelo Jornal Folha de S. Paulo, o comitê Lula Livre está organizando um movimento para o dia 27 deste mês de fevereiro, na intenção de pressionar o julgamento do habeas corpus de Lula.

O comitê mira as embaixadas do Brasil, assim como as capitais do país.

O movimento para o habeas corpus de Luiz Inácio Lula da Silva terá ainda maiores proporções, pois o comitê pretende a partir de março realizar uma mobilização semelhante as que aconteceram durante a prisão de Lula, almejam então fazer vigílias cívicas em frente ao STF.

No entanto, o comitê afirmou que tudo será feito em caráter simbólico, devido ao surto da pandemia da covid-19 no Brasil.

Lula escolhe Haddad como porta-voz do PT

De acordo com Lula, Haddad deve ser o porta-voz do Partido dos Trabalhadores (PT) e por este motivo deve caminhar pelo Brasil para se tornar um forte candidato à presidência nas eleições de 2022. Durante o encontro virtual do comitê, Lula afirmou que o atual presidente da República, Jair Bolsonaro, não quer disputar as eleições de 2022 "porque sabe que perde" para o PT.

Siga a página Jair Bolsonaro
Seguir
Siga a página Lava Jato
Seguir
Siga a página Sergio Moro
Seguir
Não perca a nossa página no Facebook!