Um adolescente de 17 anos foi apreendido nesta segunda-feira (18) pela policia civil, pois se preparava para cometer um ato terrorista em uma Escola e matar várias pessoas em Pontalina, Goiás, como aconteceu em Suzano, São Paulo, na semana passada. Ele responderá por apologia ao crime e atos preparatórios de terrorismo.

Após buscas na casa do jovem, foram encontrados vários objetos que comprovam a veracidade do fato. Uma capa, uma flecha, espingarda, desenhos, arco e flecha e ainda um coturno.

Foi desvendado também que o adolescente não agiria sozinho.

Ele teria convidado um outro jovem a participar do massacre pois, de acordo com declaração à Polícia Civil, sempre sofreu bullying e gostaria de acabar com aquilo.

Plano só não foi executado porque jovem não tinha uma arma de grosso calibre

O rapaz também teria dito que sua arma não era suficiente para fazer o massacre, pois precisaria de uma melhor para executar o plano.

Na delegacia, o garoto de 17 anos que faria o massacre na escola chegou a mencionar o ataque de Suzano, em São Paulo e o da Nova Zelândia, afirmando que o seu ataque teria muito mais vítimas.

Segundo o adolescente, logo após o massacre ele suicidaria, pois assim não sentiria pena de ninguém.

Seu plano era entrar na escola daquela cidade nos próximos dias. Ele faz o segundo ano do ensino médio no local que iria atacar.

Em suas redes social, o adolescente sempre postava símbolos satânicos e sempre falava que iria ajudar o inferno. Quando entrevistado, mostrou que estava certo e seguro do que iria fazer e não mostrava nenhum remorso.

A escola em que ele estuda foi fechada por alguns dias. Segundo o garoto, os acessórios mostrados na imagem seriam todos usados no ataque.

A cidade de Pontalina fica a 134 km de Goiânia, apesar do fato, é considerada tranquila e tem pouco mais de 17 mil habitantes.

O adolescente foi levado para a Comarca de Pontalina, Goiás, onde foi ouvido e, em seguida, foi internado em Caldas Novas, cidade vizinha, onde permanecerá à disposição da Justiça.

O garoto também teria revelado que o plano dele era agir antes do carnaval.

Nas suas redes social, o jovem sempre se mostrava feliz com atos terroristas conhecidos por massacre de Columbine, atentado ocorrido na cidade de Columbine, no estado do Colorado, Estados Unidos, e massacre de Christchurch, que aconteceu dia 15 deste mesmo mês na Nova Zelândia.

O jovem está sendo mantido em sigilo na cidade que foi internado para sua proteção, segundo o Ministério Público.

Não perca a nossa página no Facebook!