O corpo de uma Mulher foi encontrado fora do túmulo em Gravataí, no Rio Grande do Sul. A 1ª Delegacia de Polícia Civil da cidade está investigando o caso e há suspeita de que tenha ocorrido abuso sexual. O corpo foi encontrado por familiares, seminu, em uma área próxima ao cemitério Rincão Madalena, na manhã desta segunda-feira (11).

O delegado Márcio Zachello, responsável pelo caso, informou que o corpo foi encaminhado ao Departamento Médico Legal (DML) para que seja passado por uma perícia.

Segundo o delegado, o corpo havia sido levado para uma área verde que pertencente à prefeitura e, de acordo com os sinais, há a possibilidade de que tenha ocorrido abuso.

Uma das irmãs da vítima, Jaqueline Veras, afirmou que a mulher de 49 anos teve que ser encaminhada ao hospital Dom Joao Becker após passar mal devido a uma insuficiência respiratória, no sábado (9).

A vítima era aposentada por invalidez. Ela sofria com a Síndrome de Raynaud e com esclerose sistêmica. Segundo informações de Jaqueline, a vítima tinha dificuldades para respirar e faleceu no final da manhã de sábado, após não responder ao aumento do oxigênio.

O corpo foi enterrado no domingo (10), às 11h, no cemitério do Rincão da Madalena, e os familiares só tiveram conhecimento da violação.

Na segunda-feira (11), a cunhada de Jaqueline recebeu uma ligação anônima informando que a vítima não estaria no túmulo.

Segundo informações de Jaqueline, logo após receber o aviso, os familiares se dirigiram imediatamente ao local e constataram que realmente o corpo não estava no túmulo.

Parentes acharam que vítima teria ressuscitado

Ainda segundo depoimento de Jaqueline, o marido, dois sobrinhos e dois irmãos seguiram rastro de terra e chegaram a acreditar que a vítima poderia ter saído do túmulo.

Vai ficar por fora de assuntos como este?
Clique no botão abaixo para se manter atualizado sobre as notícias que você não pode perder, assim que elas acontecem.
Polícia Mulher

"Quem sabe teria saído, sobrevivido. Na hora, foi uma coisa apavorante", disse a irmã da vítima.

Entretanto, Jaqueline disse que ao ver a roupa da irmã pendurada e o corpo, percebeu que se tratava de uma violação. Jaqueline descreveu que a vítima foi encontrada despida, as pernas abertas e as mãos cruzadas sobre o peito.

Para Jaqueline a motivação do crime não se trata de furto, pois, segundo ela, não foi enterrado nenhum objeto de valor com a irmã.

Segundo o delegado responsável pelo caso, ainda não existem suspeitos pelo crime, entretanto, o autor pode responder pelo crime de vilipêndio de cadáver e pode pegar de um a três anos de prisão.

Segundo a Prefeitura de Gravataí, que se manifestou acerca do ocorrido, a vigilância do cemitério é realizada por uma empresa terceirizada que já foi notificada a fim de prestar explicações acerca da situação.

Não perca a nossa página no Facebook!
Leia tudo