Após ter noticiado um possível sequestro acompanhado de horas de tortura, uma Mulher confessou que teria armado todo esquema. A mulher que não teve a identidade revelada, fez um novo depoimento desmentindo o caso apresentado anteriormente para autoridades policiais.

Segundo informações, a mulher teria inventado toda a situação para chamar a atenção do seu ex-companheiro. Ela também informou que contou com a participação de sua amiga para realizar tal fato.

Quando o caso foi divulgado por alguns veículos de impressa, muitas pessoas, pelas redes sociais, ficaram impressionadas com tamanha violência realizada em uma mulher grávida de 7 meses.

Muitas pessoas chegaram a compartilhar a notícia nas redes sociais.

A Polícia Civil não deu informações de quais penas serão aplicadas para a mulher que mentiu sobre tal situação. A amiga que também participou da mentira irá ser responsabilizada pela participação no ato.

O caso

A mulher apresentou a informação que teria sido abordada por um suspeito próximo ao estado do Maracanã ao sair de um salão de beleza. Em seguida, ela teria sido sequestrada e levada para o Alto da Boa Vista. Nesse lugar, o suspeito começou a vasculhar o telefone celular e percebeu que ela teria tido relações com um policial militar. Após o indivíduo saber que a vítima teria contato com o agente da segurança pública, ela teria sido conduzida para a comunidade Morro do 18.

Na favela, criminosos teriam agredido ela no período de duas horas e libertado na altura da Penha. Após o ocorrido, pelo fato dela estar grávida, a vítima teria recebido atendimento medido e depois teria ido até uma delegacia para registrar o boletim de ocorrência sobre o respectivo caso.

Rio de Janeiro e coronavírus

Além de alguns crimes realizados na cidade do Rio de Janeiro, autoridades governamentais também estão enfrentando problemas em razão do surto do novo coronavírus.

Nas últimas horas foram apresentados dados sobre vitimados do vírus.

Cerca de 341 pessoas morreram e pouco mais de 4 mil casos foram confirmados. Mediante tal problema, muitas médias extremas foram tomadas nesse período de pandemia. Em entrevistas passadas, o atual governador do Rio, Wilson Witzel, informou lugares públicos para lazer ficarão suspensos, tendo como exemplo: praias, rios, lagos, cachoeiras entre outros.

O intuito da proibição seria evitar aglomerações, tendo em vista que o vírus pode ser transmitido pelo ar ou até mesmo pelo contato físico.

Apesar de ser uma medida essencial, muitos cariocas estão sendo contrários à decisão do atual governador. Dias atrás uma mulher foi presa após caminhar na areia da praia do Recreio dos Bandeirantes. Policiais militares teriam informado a proibição a mulher, mas ela se recusou a sair e acabou sendo conduzida para uma delegacia da região onde chegou a ficar detida por algumas horas.

Siga a página Polícia
Seguir
Siga a página Mulher
Seguir
Não perca a nossa página no Facebook!