A ex-presidente do Brasil, Dilma Rousseff (Partido dos Trabalhadores), comentou sobre o pronunciamento realizado pelo ex-ministro da justiça, Sergio Moro.

Após Sergio Moro informar sua saída do atual governo na manhã desta última sexta-feira (24), Dilma informou que faltou um detalhe a ser dito por Moro durante o pronunciamento. De acordo a petista, era para o ex-juiz federal pedir desculpas ao também ex-presidente do país, Luiz Inácio Lula da Silva (PT), tendo em vista, segundo Dilma, que Moro havia dito algumas mentiras a respeito de Lula.

"Se o sr. Moro tivesse 10% da sinceridade que tentou transmitir na entrevista-delação contra Bolsonaro, seu ex-chefe, teria aproveitado e pedido desculpas ao povo brasileiro por todas as mentiras que contou sobre Lula", escreveu Dilma Rousseff através de uma rede social.

A publicação realizada pelo Twitter já conta com a participação de mais de 84 mil curtidas e cerca de 17 mil comentários. Muitos simpatizantes do PT concordaram com as críticas feitas por Dilma a Sergio Moro. Até o fechamento dessa matéria, o ex-juiz federal ainda não havia se pronunciado sobre as críticas sofridas.

Bolsonaro sofre críticas

Jair Messias Bolsonaro (sem partido), atual chefe do executivo, tem enfrentado grandes problemas relacionados a pandemia do novo coronavírus.

Mesmo o Brasil registrando mortes diárias, o atual presidente continua a informar a importância da retomada dos trabalhos no país.

Já que as atividades profissionais irão ficar paralisadas por tempo indeterminado, Bolsonaro entende que isso irá gerar sérios prejuízos para os cofres públicos, tendo em vista que muitas empresas irão deixar de produzir para o crescimento do país.

Mesmo indo contrário as decisões do Ministério da Saúde, Bolsonaro se posiciona através das redes sociais e até mesmo dos meios de comunicação televisivos para que a população retorne aos poucos as suas funções profissionais.

Mesmo realizando tal pedido, as medidas de isolamento social e quarentena continuam valendo.

Agentes da saúde reforçam que novas mortes poderão ser geradas se o país retomar parte das atividades profissionais.

Grupo de risco

De acordo com informações, o vírus atinge mais as pessoas que estão no grupo de risco, que seriam aquelas que possuem doença venérea ou até mesmo idade superior a 60 anos. Essas pessoas não possuem imunidade suficiente para combater o vírus, por isso se tornam mais vulneráveis.

Diante disso, profissionais da saúde informam que aquelas pessoas que estiverem no grupo de risco deverão ficar em quarentena até que a pandemia seja controlada no país, tendo em vista que essas pessoas são mais propícias a serem atingidas diretamente com a doença.

Siga a página Sergio Moro
Seguir
Siga a página Governo
Seguir
Siga a página Lula
Seguir
Não perca a nossa página no Facebook!