O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) voltou a criticar o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) em meio à crise do coronavírus, que já fez centenas de mortes em todo o país.

Na tarde dessa última quarta-feira (1°), o ex-presidente participou de uma entrevista através das redes sociais, onde teve a oportunidade de falar sobre diversos assuntos. Dentre os assuntos argumentados, Lula questionou o governo do presidente, pois, segundo o ex-presidente, Bolsonaro não está preocupado com os mortos pela covid-19, e sim com a economia do país.

"O povo precisa ficar em casa pra se proteger inclusive do Bolsonaro.

E se tem alguém que precisa ficar isolado é ele", argumentou Lula. Ele também criticou o presidente pelo fato de demorar a sancionar a lei que permite parte dos brasileiros ser beneficiados com um auxílio. Essa ajuda do governo irá servir para ajudar as pessoas que trabalham informal, tendo como exemplo motoristas de aplicativo e vendedores ambulantes.

Ainda não é possível mencionar quantas pessoas irão ser beneficiadas com o auxílio. Jair Bolsonaro, ao longo dos dias, muda seu discurso sobre o vírus. Antes do surto da covid-19 no país, o presidente se posicionou contrário do mundo, informando que a população não precisava se preocupar, pois as consequências não passariam de um simples ''resfriadinho'' ou ''gripezinha''.

Lula ataca Sergio Moro

Além de criticar o atual presidente sobre os problemas envolvendo a covid-19, o ex-presidente voltou a cutucar o ministro da Justiça e Segurança Pública, Sergio Moro. Durante um discurso de Moro, Lula informou: "Ontem, na entrevista, estava parecendo um 'João Bobo'. Não sabe o que fazer, o que falar, nem sabe por que está lá".

Covid-19

Agentes do Ministério da Saúde informaram que a situação do país com a proliferação da covid-19 é controlável, mas essa situação poderá perder o controle se não tiver uma medida de isolamento por parte da população brasileira. Profissionais da área da saúde usam as redes sociais para alertar as pessoas a continuarem em casa de quarentena, pois é uma das formas mais eficazes de evitar o contágio do vírus que está fazendo centenas de mortes.

Até o fechamento dessa matéria, o Brasil registra 241 número de mortos e 6.836 casos confirmados. Pelo fato de possuir milhares de pessoas em situação de risco na UTI (Unidade de terapia intensiva), os números poderão crescer nas próximas horas.

Siga a página Jair Bolsonaro
Seguir
Siga a página Lula
Seguir
Não perca a nossa página no Facebook!