Segundo o colunista Josias de Souza, do portal UOL, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva pode continuar com a ficha suja mesmo que o Supremo Tribunal Federal (STF) anule uma das sentenças que vem reivindicando na Corte.

Segundo a defesa do petista, há a possibilidade de ser anulado o processo que envolve o caso do tríplex em Guarujá, após a divulgação de mensagens trocadas entre o ex-juiz Sergio Moro e procuradores da Operação Lava Jato.

Nesta ação, a defesa do ex-presidente pede também a suspeição de Moro. Mas ainda que estas exigências sejam atendidas pelos ministros, Lula não poderá concorrer às eleições em 2022.

Isso porque, ainda sim, constaria na ficha do petista uma condenação pelo sítio de Atibaia (SP).

Haddad é anunciado como candidato do PT em 2022

Para ficar apto a disputa nas eleições de 2022, Lula teria que pedir a anulação de todas as sentenças deferidas contra ele que correram na 13ª Vara de Curitiba, e tal anulação pode ficar mais difícil de conseguir por Lula ter sido sentenciado pela juíza que substitui Moro, Gabriela Hardt.

Lula foi condenado em duas instâncias da Justiça e poderia estar cumprindo pena em uma cela, não fosse a revogação feita pelo STF à prisão em segunda instância.

Recentemente foi anunciado pelo PT que o ex-prefeito de São Paulo Fernando Haddad será o candidato a presidente pelo partido nas eleições de 2022.

Haddad já saiu como vice e depois se tornou o principal candidato quando em 2018 e foi derrotado pelo atual presidente Jair Bolsonaro (sem partido).

Lula pode usar mensagens para anular sentenças

Segundo a defesa de Lula, as mensagens que foram hackeadas e depois obtidas pela Justiça durante a operação Spoofing e reveladas pelo STF após passarem por perícias para constatar se eram verdadeiras, pode ser uma boa chance de Lula para poder provar que Moro foi parcial durante os processos.

As conversas estão sendo divulgadas aos poucos através da mídia. Mais de 50 páginas que mostram diálogos entre Moro e procuradores da Lava Jato já foram divulgadas. Trechos dos diálogos mostram Moro dizendo que havia encontrado alguém disposto a depor contra um dos filhos de Lula.

Sobre as mensagens, Moro disse que não há fraudes processuais e que as mesmas foram obtidas de forma ilegal com o intuito de cancelar sentenças por corrupção.

Siga a página Política
Seguir
Siga a página Lula
Seguir
Siga a página PT
Seguir
Não perca a nossa página no Facebook!