No início da noite desta sexta-feira (19), o Governo federal informou que pretende trocar o presidente da Petrobras. De acordo com o Ministério de Minas e Energia, a decisão é de colocar no cargo de conselheiro de administração e presidente o general Joaquim Silva e Luna, atual presidente de Itaipu.

No entanto, o conselho de administração da Petrobras precisa aprovar ou não a indicação. Cabe ressaltar que existe uma grande chance de ser Silva e Luna, devido ao governo Bolsonaro ser maioria no colegiado de 11 membros.

O presidente da República, Jair Bolsonaro, ainda anunciou de forma imediata o general da reserva do Exército, João Francisco Ferreira, para o cargo de diretor-geral e Itaipu, e assim evitar assédio do Centrão sobre a vaga.

Mandato do atual presidente da Petrobras está vencendo

Para a presidência da Petrobras são destinados 2 anos de mandato, podendo ser prorrogado por três vezes. O atual presidente da Petrobras terá seu mandato de 2 anos vencendo em 20 de março de 2021 e o conselho já tem se reunido para avaliar o balanço geral da companhia petroleira.

No entanto, com o anúncio do governo a discussão está mudando de sentido, de modo que, há temor de que o governo interfira politicamente na estatal. Nos últimos dias, as palavras de Jair Bolsonaro tem culminado em uma queda constante da Ibovespa, onde as ações tem sofrido com 7,92% a ON e 6,63% a PN. No total a Petrobras está perdendo quase R$ 30 bilhões no valor natural de mercado.

'Teremos mudança, sim, na Petrobras', diz Bolsonaro

No começo da tarde de sexta-feira (19), o presidente ficou insatisfeito com as palavras de Roberto Castello Branco, presidente da Petrobras, quando este disse não ter nada a ver com os caminhoneiros.

Como consequência, Bolsonaro afirmou que a estatal sofrerá mudanças, porém sem interferir na política de preço dos combustíveis.

No entanto, no dia anterior Bolsonaro chegou a afirmar que iria zerar os tributos federais sobre o diesel por 2 meses, após o reajuste inesperado feito pela petroleira.

No quesito gás de cozinha, o presidente Bolsonaro afirmou que a partir de 1º de março, os tributos federais estão zerados permanentemente. Para Bolsonaro o aumento é "excessivo" e está "fora da curva".

Bolsonaro ainda afirmou que na próxima semana mais mudanças serão feitas dentro da estatal.

'Será nomeado mais um militar', lamentou Salim

Jair Bolsonaro recebeu críticas de Salim Mattar, empresário e ex secretário nacional de Desestatização, sobre decisão de substituir Roberto Castello Branco por Joaquim Silva e Luna na presidência da Petrobras. Segundo Salim, Castello Branco “tirou a empresa literalmente do fundo do poço”.

Nas redes sociais, Salim lamentou a saída de Castello Branco do comando da Petrobras, visto que ele fez um ótimo trabalho ao tirar a estatal do fundo do poço “após o maior escândalo de corrupção do planeta”.

Siga a página Jair Bolsonaro
Seguir
Siga a página Política
Seguir
Siga a página Petrobras
Seguir
Não perca a nossa página no Facebook!