Com o avanço do novo coronavírus em todo o Brasil, atitudes solidárias estão sendo tomadas por muitas pessoas. Recentemente, policiais militares do estado de São Paulo realizaram um ato humanitário ao arrecadarem e distribuírem cestas básicas para aquelas famílias que se encontram com dificuldades financeiras nesse período de quarentena.

De acordo com informações do portal G1, os policiais Daniel Souza e Gabriel Felix saíram da rotina de serviço ostensivo, com autorização da Polícia Militar, e foram realizar atitudes solidárias. Com uma viatura policial, os militares distribuíram 18 cestas básicas para famílias carentes de Jardinópolis (SP).

"Normalmente, as pessoas veem a viatura e têm aquele espanto. Eles acham que é algum problema, mas aí tem a surpresa", diz Souza. "São famílias bem carentes, aí vamos até o local e fazemos a doação. Pode ser pouco, 'só uma cesta básica', só que esse pouco já ajuda", completou.

Dificuldades de algumas famílias

Em meio à paralisação das atividades profissionais em razão da pandemia do novo coronavírus, muitas famílias carentes estão passando por dificuldades, tendo em vista que a maioria depende da renda mensal para pagar despesas do mês. Diante disso, foi disponibilizado um benefício pelo atual presidente da República, Jair Bolsonaro (sem partido), para as pessoas que não estão conseguindo se manter nesse período de quarentena.

O auxílio emergencial é de R$ 600, podendo chegar em até R$ 1.200 para aquelas mulheres que conseguirem declarar serem chefes de família.

O benefício ficará disponível mensalmente até que a pandemia do novo coronavírus seja controlada.

São Paulo

A cidade paulista vem batendo recordes em relação aos aumentos de contaminados e de pessoas mortas em razão do novo coronavírus. Mesmo com isolamento social imposto por autoridades governamentais, São Paulo continua sendo o estado que mais é afetado com a pandemia.

De acordo com informações do Ministério da Saúde), nesse período de quarentena foram registrados 1.134 óbitos e quase 16 mil casos confirmados em São Paulo.

O atual governador de São Paulo, João Doria (PSDB), realiza diversas coletivas ao longo dos dias, onde ele continua a afirmar a importância do isolamento social e também da prevenção do novo coronavírus, tendo em vista que muitas pessoas ainda continuam sem acreditar nas consequências da doença.

Coronavírus

O vírus já deixou 2.924 pessoas mortas e 46.195 casos confirmados no Brasil. Com isso, medidas extremas estão sendo realizadas em alguns estados do país. Com intuito de diminuir o avanço da doença, o atual prefeito da cidade do Rio de Janeiro, Marcelo Crivella, impôs uma medida que obrigará os cariocas a usarem máscaras cirúrgicas a partir desta quinta-feira (23).

De acordo com algumas informações, se as pessoas descumprirem as novas ordens, irão ficar suspensas de entrarem nos ônibus, metrôs, mercados, bancos entre outros lugares. Dependendo da situação, Crivella informou que essas pessoas ainda poderão ser penalizadas com multas ou até mesmo com prisões, tendo em vista o risco que elas estão colocando a vida de terceiros em razão do novo coronavírus.

O Rio de Janeiro é o segundo estado mais afetado, registrando cerca de 490 mortes e pouco mais de 5 mil casos confirmados nesse período de quarentena.

Siga a página Coronavirus
Seguir
Siga a página Polícia
Seguir
Não perca a nossa página no Facebook!