Carolina de Moura Lebbos, juíza substituta de Sergio Moro e atual responsável pelo caso de Luíz Inácio Lula da Silva, negou o pedido do ex-presidente de comparecer no velório do irmão, Genival Inácio da Silva, que morreu nesta terça-feira (29) vítima de um câncer.

A decisão da juíza foi tomada na madrugada desta quarta-feira (30), um pouco antes do mesmo pedido ser negado pelo desembargador do Tribunal Regional Federal da 4ª Região (TRF-4), Leandro Paulsen. Em resposta, a defesa do ex-presidente Lula deve apelar ao Supremo Tribunal Federal (STF).

Publicidade
Publicidade

As razões para que o pedido fosse negado

Segundo Lebbos, o pedido também não poderia ser atendido por uma questão de logística, já que não haveria como transportar o ex-presidente até o local do velório, além de demonstrar preocupação sobre a segurança do petista.

Para a PF, Há também o argumento de que uma grande parte dos helicópteros que seriam utilizados para garantir a segurança de Lula estariam sendo utilizados em Brumadinho, após o desastre do rompimento da barragem da empresa Vale.

Não perca as últimas notícias!
Clique no tema que mais te interessa. Vamos te manter atualizado com todas as últimas novidades que você não deve perder.
Polícia Lula

Apesar disso, a saída de Lula para comparecer ao enterro do irmão está prevista por lei graças ao artigo 120 do Código de Execução penal, que concede a possibilidade de condenados em regime fechado obtenham permissão para deixar sua cela no caso de morte de algum dos familiares.

Logo após a decisão de Lebbos em conjunto com a Polícia Federal, a força-tarefa da Operação Lava Jato também se manifestou negativamente sobre o pedido do ex-presidente.

Publicidade

O argumento utilizado foi o mesmo da juíza: não haveria garantia de que a integridade física de Lula seria mantida em um provável cenário envolvendo protestos no local da cerimônia de enterro.

Hamilton Mourão (PSL), vice de Jair Messias Bolsonaro, afirmou nesta terça-feira que a liberação do petista para que pudesse velar o irmão é uma questão humanitária, e concordou que esse direito fosse cedido a Lula.

A defesa de Lula havia feito dois pedidos para que o ex-presidente pudesse comparecer ao velório e enterro de seu irmão.

Vavá foi velado na terça-feira, no Cemitério da Paulicéia, em São Bernardo do Campo. A cerimônia aconteceu às 18h. Genival Inácio da Silva era um dos irmão mais próximos do ex-presidente Lula.

O petista está preso desde o dia 7 de abril de 2018, quando foi condenado em segunda instância a 12 anos e 1 mês de prisão.

Não perca a nossa página no Facebook!
Leia tudo