Um homem foi encontrado morto dentro de um quarto de motel, na cidade de Bueng Kan, no norte da Tailândia. A vítima foi identificada pela #Polícia como San Gray, de 64 anos, que morreu após uma maratona de sexo selvagem com uma garota de programa. Segundo a polícia, o homem tinha tomado alguns comprimidos afrodisíacos identificados como "the muscle" (o músculo, em português)”, e durante o ato sexual sofreu um ataque cardíaco, vindo a falecer.

Segundo informações das autoridades locais, a vítima foi encontrada por uma empregada do motel por volta da meia-noite. Ainda de acordo com a polícia, apesar da vítima estar há mais de uma hora morto, o órgão sexual do homem ainda estava ereto, e ao seu lado estavam algumas pílulas afrodisíacas. De acordo com a mídia local, o homem teria reservado o quarto de motel na quinta-feira (9), por volta das 19 horas e, em seguida, tinha ligado na recepção pedindo para levar comida em seu quarto, pois estava com fome.

Conforme informações do portal de notícias “CCTV”, uma mulher foi vista pelas câmeras de segurança do estabelecimento deixando o quarto por volta das 22 horas. Após algum tempo, o homem foi encontrado nu em cima da cama já sem vida. A polícia foi acionada pela recepção do estabelecimento. A polícia disse que o homem pode ter sofrido um ataque cardíaco durante o ato sexual com a garota de programa, devido ao forte efeito da droga ou pelo fato de ter comido uma grande refeição antes de ter atividade sexual.

"A abertura oficial da porta para o quarto (sic). O falecido foi encontrado deitado nu, mas seu pênis ainda estava duro e ereto. Acreditamos que ele estava morto há pelo menos uma hora. Ele tomou o afrodisíaco antes de fazer sexo e teve um ataque cardíaco durante o sexo. A senhora bateu na porta às 22 horas, mas depois de não muito tempo, deixou o quarto rapidamente”, disse o capitão da polícia, Narong Srimart.

O corpo da vítima foi recolhido e encaminhado para o órgão específico para o caso. As autoridades locais não informaram se o homem era casado ou solteiro. #Morte